Macieira

Venda de mudas, produção de mudas, mudas para reflorestamento: jeriva, mudas de palmeira imperial, mudas de palmeiras triangular, mudas de coqueiro, mudas de coqueiro anão, mudas de palmeiras leque, mudas de palmeira fenix, mudas de arvores nativas, mudas de jabuticaba, mudas de jabuticabeira, mudas de arvores nativas, mudas florestais, mudas frutiferas.

Arvores de Macieira - Mudas de Maçã
macieira




Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Rosales
Família: Rosaceae
Gênero: Malus

Macieira

A maçã é uma das frutas mais cultivadas do mundo. A maioria das maçãs produzidas são frutos das macieiras, árvores da família Rosaceae, pertencentes ao género Malus. As variedades mais comuns são M. domestica e M. sieversii e respectivos híbridos.

 

 

 

 

Fruteira típica de clima temperado, a cultura da maçã é uma das atividades que mais recebe investimento em tecnologia e qualidade no país

Nome popular da fruta

Maçã

Nome científico

Malus domestica Borkh.

Origem

Oriente Médio e Leste Asiático.

Fruto

Fruto globoso com uma profunda depressão no ponto de inserção da haste, que o prende aos ramos.

De coloração vermelha ou verde, pode apresentar pequenas manchas esverdeadas ou amareladas.

Planta

A macieira é uma frutífera típica de clima temperado, da família Rosaceae, com pequena exigência de frio, apresentando-se apta para produzir satisfatoriamente em condições de inverno brando. A árvore chega a 10 metros de altura. Possui tronco de casca parda, lisa e copa arredondada. As flores são brancas ou róseas, e aromáticas.

Cultivo

No Brasil, a produção de maçã se concentra em duas cultivares, ‘Gala’ e ‘Fuji’, que representam em torno de 90% da área plantada. Outras cultivares plantadas são a ‘Eva’, ‘Golden Delicious’, ‘Brasil’, ‘Anna’, ‘Condessa’, ‘Catarina’, ‘Granny Smith’.

As cultivares ‘Eva’, ‘Anna’ e ‘Condessa’ possuem baixa exigência em frio, o que as torna recomendáveis para plantio em regiões mais quentes e com produção entre dezembro e a primeira quinzena de janeiro.

A ‘Gala’ vem sendo gradativamente substituída por clones de coloração mais vermelha dos frutos, como a ‘Royal Gala’, ‘Imperial Gala’ e ‘Galaxy’. Seus frutos são colhidos nos meses de janeiro e fevereiro.

A ‘Fuji’ e seus clones ‘Fuji Suprema’ e ‘Kiku’, que também tem frutos mais avermelhados, produzem no mês de abril e maio, sendo uma fruta de sabor doce e muito suculenta. A ‘Fuji’ apresenta, ainda, a vantagem de ser mais resistente ao armazenamento que a ‘Gala’.

Os programas de melhoramento genético vêm criando cultivares com menor exigência em frio e resistentes a doenças, destacando-se a ‘Imperatriz’, ‘Daiane,’ ‘Baronesa’, ‘Catarina’ e ‘Joaquina’, as últimas duas resistentes a sarna, importante doença fúngica que ataca folhas e frutos das macieiras.

Para início do pomar é imprescindível o plantio de mudas enxertadas e sadias, em porta-enxertos clonais ou de sementes da própria macieira.

Por se tratar de cultura perene e de polinização cruzada, deve-se consorciar no plantio variedades interpolinizantes.

A produtividade média da maçã no Brasil varia de 15 a 30 t/ha de frutos em pomares adultos e conduzidos dentro das modernas técnicas. Essa variação ocorre em função do espaçamento, cultivar e manejo.

Usos

A maçã tem como principal destino o consumo fresco. Diversos tipos de processamento da fruta são possíveis, produzindo produtos como doces, geléias, compotas, sucos, bebidas e vinagre.

Mercado

O produtor deve estar atento sobre a capacidade de armazenamento dos frutos na região onde pretenda produzir. No Brasil, a capacidade de armazenamento de maçãs é de 511.525 t, cerca de 60% da produção nacional, com boa parte dessa capacidade instalada em Santa Catarina. Sem o armazenamento, o produtor é obrigado a vender sua produção em um período muito curto de tempo, ficando sujeito à pressão baixista de preços.

O mercado consumidor é altamente exigente tanto para o preço quanto para a qualidade das frutas, o que demanda um beneficiamento capaz de selecionar criteriosamente as frutas com potencial de mercado in natura, com bases em infestações de doenças e em defeitos físicos, o que tem levado nos últimos anos a um descarte em torno de 30% da produção nacional. Esse descarte é normalmente direcionado à industrialização. Esse percentual de industrialização no país tende a aumentar, devido à demanda crescente no mercado interno pelo suco pronto para consumo.

Na indústria processadora de maçã, o suco é considerado um dos principais produtos. Do resultado de sua extração surge o bagaço, chamado de descarte sólido, que é uma mistura principalmente de casca, polpa e semente. O rendimento médio nas indústrias que utilizam a prensagem na extração de suco é de 65% de suco e 35% de bagaço. Novas tecnologias permitem uma relação de 84% de suco e 16% de bagaço.

No Brasil, o bagaço tem como principal destino o solo, como adubo orgânico, ou a utilização como ração animal. Uma série de estudos avalia seu aproveitamento na fabricação de álcool, bebida alcoólica, fibras para enriquecimento de alimentos e outros produtos.

O vinho de maçã, além do consumo direto, constitui a base para a sidra, bebida frisante, e para a produção de destilados envelhecidos como o calvados ou para a produção de blends como o pommeau.

Pierre Vilela

Fonte:www.sebrae.com.br

Maçã

Maçã (Malus sylvestris; malus communis)Variedade Maçã Fuji
Classificação científica

Reino:Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Rosales
Família: Rosaceae
Género: Malus
Espécies: Malus domestica, Malus sieversii entre outras.

 

A maçã é uma das frutas mais cultivadas do mundo.

As maçãs produzidas são frutos das macieiras, árvores da família Rosaceae, pertencentes ao género Malus. As variedades mais comuns são M. domestica e M. sieversii e respectivos híbridos.

A maçã, cientificamente falando não é realmente um fruto, e sim um pseudofruto (falso fruto).

Fonte:

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/maca/maca.php
frutas.radar-rs.com.br


Mande um e-mail: florestamudas@gmail.com
Fone: (014) 3441-3501 - (011) 3042-7491