Jabuticabeiras - Jabuticabeira no Vaso

Venda de jabuticabeira, produção de mudas, mudas para reflorestamento: jeriva, mudas de palmeira imperial, mudas de palmeiras triangular, mudas de coqueiro, mudas de coqueiro anão, mudas de palmeiras leque, mudas de palmeira fenix, mudas de arvores nativas, mudas de jabuticaba, mudas de jabuticabeira, mudas de arvores nativas, mudas florestais, mudas frutiferas.

JABUTICABEIRA EM VASOS

Somos Produtores de Jabuticabeira
Temos Jabuticabeira de Varios Tamanhos em Vasos

jabuticabeira em vaso produzindo
Aqui esta uma jabuticabeira em vaso
Produzindo em residencia .

 

A Jabuticabeira é a arvore frutifera de maior comercialização a nivel de consumidor final , caminhões saem de alguns viveiros carregados de jabuticabeira , com a certeza de venda feita.

Nossa empresa não tem esse tipo de mercado , mas enviamos a sua jabuticabeira , tanto hibrida ou sabará para todo o Brasil.
Temos grande produção de jabuticabeiras aqui em Tupã-São Paulo onde o clima e solo são ideais para essa cultura.
Esta fruta gostizissima produzida pela jabuticabeira que quer diferente e nasce no galho , e tem im sabor bem brasileiro.
A Jabuticabeira alem de apreciada na fruta faz sucos deliciosos e doces tambem,mas o muitas pessoas não sabem são suas propriedades medicinais .


jabuticabeira em vaso

Benefícios da jabuticaba à saúde Protege e estimulam a reparação dos tecidos ricos em colágeno – principal proteína da pele, responsável pela firmeza e elasticidade; protege contra a aterosclerose; combate as rugas, reduzem a produção de histamina (o que aumenta a resistência do organismo contra a agressão de certas substâncias mutagênicas), o colesterol comum e o LDL (o mau colesterol) e os radicais livres; melhora a circulação sangüínea periférica..."

1) Qual a origem da jabuticabeira?

A jabuticaba (do tupi “iapoti kaba” que significa “frutas em botão”), para o orgulho dos brasileiros, é uma fruta silvestre 100% brasileira, típica da Mata Atlântica. É encontrada nas regiões tropicais, do Norte ao Sul do país, e são três as espécies cultivadas. A jabuticaba-sabará (Myrciaria cauliflora) é a mais saborosa, cujos frutos são de tamanho médio.

2) A jabuticaba é uma fruta rica em antocianidina. Quais os benefícios dessa substância para o organismo?

As antocianidinas pertencem à classe dos bioflavonóides (compostos amplamente distribuídos no reino vegetal, descobertos em 1936, que apresentam ação semelhante à vitamina C; também denominados vitamina P), que conferem às plantas, frutas e flores uma cor que varia do vermelho ao azul. Dentre os grupos de bioflavonóides, encontram-se as pró-antocianidinas, precursoras das antocianidinas. As pró-antocianidinas são atóxicas, solúveis em água e facilmente encontradas nos vegetais; as mais ativas são aquelas extraídas da casca dos pinheiros (patenteada na França, em 1951) e das sementes da uva (também patenteada na França, em 1970).

Nas últimas duas décadas, inúmeros estudos e pesquisas contribuíram para uma melhor compreensão a respeito das pró-antocianidinas. Experiências em laboratórios demonstraram que as antocianidinas são, aproximadamente, 50 vezes mais potentes do que a vitamina E e 20 vezes mais do que a vitamina C. Outros estudos realizados com animais e seres humanos demonstraram que esses compostos apresentam propriedades antioxidantes, capazes de reduzir e combater os radicais livres (moléculas altamente instáveis e reativas que se ligam às células, responsáveis por diversos processos patológicos: inflamações, intoxicações, infarto do miocárdio, doenças degenerativas, câncer e envelhecimento).

São inúmeros os benefícios das antocianidinas: protegem e estimulam a reparação dos tecidos ricos em colágeno – principal proteína da pele, responsável pela firmeza e elasticidade – (como as paredes das artérias, conferindo proteção contra a aterosclerose) e, conseqüentemente, previnem e combatem as rugas; reduzem a produção de histamina (o que aumenta a resistência do organismo contra a agressão de certas substâncias mutagênicas), o colesterol comum e o LDL (o mau colesterol) e os radicais livres; melhoram a circulação sangüínea periférica; restauram a funcionalidade dos capilares e fortalecem os vasos sangüíneos (prevenindo equimoses, varizes, fragilidade capilar e derrames cerebrais; benificiando, inclusive, os diabéticos); protegem as células cerebrais (o que auxilia na melhora da memória e combate à senilidade); melhoram as defesas imunológicas, a resistência física e a disposição, a elasticidade muscular e a visão (juntamente com outros antioxidantes, fitoterápicos e suplementos nutricionais, combatem a degeneração macular dos olhos – a perda progressiva da visão –, dentre outros problemas oftalmológicos); auxiliam na estabilização da taxa de açúcar no sangue dos diabéticos; apresentam propriedades anticancerígenas, etc. 

3) Qual a quantidade da substância na fruta? Uma jabuticaba ou uma porção de 100 g, por exemplo, teria quanto de antocianidina?

Não obstante serem ainda poucas as pesquisas realizadas no Brasil sobre a jabuticaba, segundo dados recentes da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), cada grama de jabuticaba contém cerca de 314 miligramas de antocianidina.

4) É verdade que a jabuticaba tem mais antocianidina que as uvas? Há índices para essa comparação?

Sim. Segundo a mesma UNICAMP, um grama de uva contém cerca de 227 mg de antocianidina, enquanto que a amora (também muito benéfica para os olhos), 290 mg.

5) A antocianidina é encontrada apenas na casca? Como boa parte das pessoas descarta a casca na hora de comer a fruta, qual é sua sugestão para que não se dispense o consumo das antocianidinas da jabuticaba?

Na jabuticaba sim. Os bioflavonóides (vitamina P) estão presentes, principalmente, nas frutas cítricas (em maior concentração nas partes brancas internas dos frutos e, muitas vezes, participam de sua coloração) e nas pimentas vermelhas. As pró-antocianidinas encontram-se presentes em muitos vegetais, frutas e plantas, mas principalmente nas sementes da uva, na casca dos pinheiros, no espinheiro-bravo (Crataegus oxyacantha), no mirtilo (Vaccinium myrtillus ou Bilberry) e na groselha-preta (Blackcurrent). Recomenda-se utilizar a fruta fresca (a casca e a polpa) na confecção de um saboroso suco, batendo-as com água no liquidificador e depois coar. Deve-se tomar o suco fresco para se aproveitar melhor o sabor e os nutrientes presentes na fruta, evitando-se a sua oxidação.

6) Além das antocianidinas, há outras susbtâncias benéficas na casca?

A casca da jabuticaba é rica em pectina (fibra solúvel), que auxilia na redução da velocidade de absorção dos alimentos, à medida que são ingeridos. É indicada nos casos de hipoglicemia e diabetes, pois contribui, neses casos, para que os níveis de glicose (açúcar) no sangue sejam mantidos mais próximos da normalidade. Contribui para a desintoxicação orgânica (pois auxilia na remoção das toxinas e dos metais pesados); auxilia no combate do excesso de colesterol, o que diminui o risco de cálculos biliares e de doenças cardiovasculares; e melhora a função da vesícula biliar. Outras fontes naturais de pectina: maçã, cenoura, beterraba, repolho, frutas cítricas, uva, banana, ervilha, leguminosas e casca da cebola. As fibras solúveis (encontradas nas frutas; ervilhas; feijões secos; cevada; aveia; goma de guar, planta nativa da Índia; mucilagens e pectinas) são melhores para auxiliar no controle do colesterol e no combate da obesidade e do diabetes. Já as fibras insolúveis (farelo de trigo) são mais indicadas para a saúde do intestino.

7) Já a polpa da fruta é rica em que nutrientes? Quais os seus benefícios?

De cor branca, mole e suculenta, a polpa da fruta contém, em 100 gramas: ferro: 1,90 mg (combate anemia); fósforo: 14 g (desempenha uma importante função no metabolismo energético; juntamente com outros minerais, auxilia no combate do estresse, da imunodeficiências, do raquitismo e da piorréia alveolodentária – infecção crônica que acomete os elementos de sustentação dos dentes); vitamina C: 12 mg (indicada nas infecções em geral; alergias; asma; glaucoma; varizes; prevenção da catarata e do câncer; aterosclerose; hipertensão arterial; periodontite; imunodeficiências; anemia; depressão; fadiga crônica; diabetes; gota; alcoolismo e tabagismo; hepatite; constipação intestinal, etc.); e niacina (vitamina B3, sua deficiência pode ocasionar fraqueza muscular, indigestão, erupções na pele e anorexia): 2,50 mg. Cada 100 gramas de jabuticaba contêm, aproximadamente, 45 calorias (considerada pouco calórica). São encontrados também: açúcares (frutose e sacarose) e ácidos orgânicos (cítrico e oxálico).

 

 

 

Fonte: UOL

http://www.portaleducacao.com.br/educacao/noticias/26832/jabuticaba-possui-inumeras-propriedades-nutricionais-e-medicinais


 

jabuticabeira em vasos
MUDAS DE JABUTICABEIRA
JABUTICABEIRA PLANTADAS NO VASO

Jabuticabeira


 

Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Sub-classe: Rosidae
Ordem: Myrtales
Família: Myrtaceae
Género: Plinia
Espécie: P. trunciflora
(O. Berg) Kausel


A jabuticaba, jaboticaba ou jabuticabeira - Myrcia cauliflora Berg.; ou Myrciaria cauliflora (Mart.) O. Berg. ou Plinia trunciflora; Myrtaceae - é uma árvore frutífera brasileira nativa da Mata Atlântica, principalmente da mata pluvial e das submatas de altitude.

Seus frutos pequenos, de casca negra e polpa branca aderida à única semente, crescem no tronco e ramos, dando uma característica peculiar à árvore. Muito cultivada em pomares domésticos. Floresce duas vezes por ano.

Ornamental, a planta se presta ao paisagismo, além de atrair a avifauna.

A árvore, de até 15 m de altura, tem tronco claro, liso, e folhas simples.

PRINCIPAIS ESPÉCIES E SUAS CARACTERÍSTICAS

A principal espécie de jabuticabeira é Myrciaria jaboticaba (Vell.) Berg, conhecida como Sabará. Mas outras espécies, como a Myrciaria cauliflora (DC.) Berg. ou jabuticaba Paulista, Assú ou Ponhema, conhecida no Estado de São Paulo.

 

Mande um e-mail: florestamudas@gmail.com
Fone: (014) 3441-3501 - (011) 3042-7491