Ameixeira

Venda de mudas, produção de mudas, mudas para reflorestamento: jeriva, mudas de palmeira imperial, mudas de palmeiras triangular, mudas de coqueiro, mudas de coqueiro anão, mudas de palmeiras leque, mudas de palmeira fenix, mudas de arvores nativas, mudas de jabuticaba, mudas de jabuticabeira, mudas de arvores nativas, mudas florestais, mudas frutiferas.

MUDAS DE AMEIXA

ARVORES DE AMEIXA



Ameixeira
ameixoeira ou ameixieira são os nomes por que são conhecidas algumas espécies de árvore de fruto do subgénero Prunus, incluso no género Prunus da família botânicaRosaceae (a que pertencem também a cerejeira e o pessegueiro).
A ameixeira-da-baía é, contudo, do género Ximenia. O seu fruto é a ameixa.A espécie japonesa (Prunus serrulata), apesar do seu nome, teve a sua origem provável na China. A Prunus domestica, ou ameixeira-europeia teve origem na Ásia Menor, a sul do Cáucaso.É um fruto redondo com uma espécie de bico, doce e de epicarpo fino. Existem muitas variedades consoante o seu tamanho, cor, sabor e estação do ano em que se desenvolvem. Têm entre 3-6 cm de largura.Em 1864, já eram cultivadas 150 espécies diferentes.

Mudas frutiferas de ameixa

Classificação científica
Reino:
Plantae
Divisão:
Magnoliophyta
Classe:
Magnoliopsida
Ordem:
Rosales
Família:
Rosaceae
Género:
Prunus
Subgénero: Prunus
Espécies
100 a 150 spp.


Ameixa

Nomes científicos: Prunus salicina (ameixeira japonesa), P. doméstica (ameixeira européia), P. insititia (ameixeira européia), P. cerasifera (ameixeira mirabolão)

Família: Rosáceas

Nome comum: ameixa, ameixeira, ameixa-vermelha, ameixa-amarela, ameixa-japonesa.

Origem: Extremo Oriente

Muito conhecida dos brasileiros, a ameixa, originária das regiões frias da Europa e da China, deu-se bem no Sul do País, em especial nas áreas montanhosas, de clima ameno. Cultivado a muitos séculos, a fruta fornece ao organismo humano sais minerais e vitaminas (em especial a A). A medicina popular, que há muito descobriu suas propriedades terapêuticas, consagrou seu uso também como um laxante eficaz.

Descrição e característica da planta: a ameixeira é uma planta originária de clima temperado, de porte médio, com folhas caducas (caem durante o inverno). Há quatro espécies mais importantes: Prunus salicina (ameixeira japonesa), P. domestica (ameixeira européia), P.insititia (ameixeira européia) e P. cerasifera (ameixeira mirabolão). As três últimas não têm interesse comercial nas nossas condições. A P. doméstica tem grande importância em outros países, porque é a usada para a produção de ameixa-passa. As variedades dessa espécie são muito exigentes em clima frio (número mínimo em horas de frio abaixo de 7,2º C). A ameixeira mirabolão é rústica e usada como porta-enxerto e ornamentação. Como as principais variedades e híbridos cultivados no Brasil são da ameixeira japonesa, as abordagens, a seguir, são para esta espécie. Hoje existem várias variedades e híbridos tolerantes para produção em clima ameno. As folhas são lisas, cor verde-clara a verde-escura, semelhantes aos do pessegueiro. Os ramos contêm gemas floríferas e vegetativas. As gemas floríferas podem produzir 3 a 5 flores de pétalas brancas. Os frutos variam de forma, tamanho e cor em função de variedades e híbridos. A polpa é firme, amarela ou avermelhada, umas mais doces que outras, aromática e o caroço (semente), preso ou não à polpa. Quando ocorre o pegamento de grande quantidade de frutos, é recomendável fazer eliminação do seu excesso (desbaste), para aumentar o tamanho dos remanescentes. As flores são hermafroditas (têm os dois sexos na mesma flor), mas, em grande parte, são auto-estéreis. Por esse motivo, é indispensável o plantio de outras variedades ou híbridos, fornecedora de pólen, para que ocorra boa frutificação. As variedades indicadas (Fonte: Boletim 200 do Instituto Agronômico de Campinas: Campinas, SP. 1998. 396 p.) são:
de polpa vermelha: Carmesin (IAC 2-41), Rosa Paulista (IAC 2-51), Rosa Mineira (ICA K-48), Grancuore (IAC 2-16), Januária (IAC K-52), Centenária (IAC SR-51) e Harry Pieckstone (introdução); de polpa amarela: Gema de Ouro IAC K-43), Golden Talismã (IAC k-16), Kelsey-31 (IAC K-31),Kelsey Paulista e Reubenel (introdução).
Elas se desenvolvem e frutificam bem em condições de clima frio a ameno, solos férteis, ricos em matéria orgânica e em locais não sujeitos a inundação. A propagação é feita por enxertia e não é recomendada por sementes. As plantas para porta-enxerto podem ser de mirabolão, pessegueiro da variedade Okinawa (resistente ao nematóide de galhas), ameixeira, abricó e amendoeira. As podas de formação e de frutificação, limpezas e desbrotas são fundamentais para boa produção e melhoria na qualidade dos frutos. A primeira colheita ocorre três a quatro anos após o plantio no campo.

ameixa japonesa

Produção e produtividade: A Argentina e o Chile são os maiores produtores da América do Sul. Os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro são os principais produtores do Brasil. A produtividade média está entre 15 a 45 toneladas de frutos por hectare. Utilidade: a maior parte dos frutos produzidos no Brasil é consumida ao natural e como geléias, licores, bebidas e ameixa-sêca.

Valor alimentar: em 100 gramas de ameixa são encontrados os seguintes elementos: calorias 47, proteínas 0,6 g, gorduras 0,2 g, hidrato de carbono 11,9 g, fibras 0,4 g, água 87,8%, cácio 8 mg., fósfori 1,5 mg, ferro 0,4 mg, sódio 2 mg, vitamina A 40 mg, vitamina B 0,03 mg, vitamina B2 0,04 mg, niacina 0,5 mg e vitamina C 6 mg. (Fonte: Tratato de fruticultura. Salim Simão. Piracicaba: FEALQ. 1998. 760 p.).

ameixa amarela

Ameixa tambem conhecida como nespera .

Parte utilizada: fruto fresco ou seco.


Propriedades medicinais da ameixa
A ameixa é produzida por uma árvore da família das Rosáceas, a ameixeira, que é originária da Pérsia, do Cáucaso e da Ásia Menor, aclimatada nos Estados do Sul, apresenta grande número de variedades, várias outras frutas pertencem também à família das rosáceas: amêndoa - amarela, nêspera, morango, maçã, damasco, cereja, pêssego, pêra, framboesa etc.

Ajuda a tratar de: Afecções hepáticas (cálculos da vesícula biliar, hepatite, icterícia, fígado preguiçoso), digestão difícil, intestino preso e tosse.

- Possui fibras, carboidratos, magnésio, sódio e potássio.
- É laxativa, recomendada contra prisão de ventre.
- No controle de reumatismo, artrite, gota e arteriosclerose.

Utilidades Medicinais:
Anemia - A ameixa seca é rica em ferro (3,50mg por l00g) e portanto convêm à dieta contra a anemia ferropriva (causada por carência de ferro).
Arteriosclerose - Incluir copiosamente a ameixa fresca na alimentação ajuda a prevenir e a amenizar o processo.
Bronquite - Deve-se usar abundantemente a ameixa fresca e ameixa cozida. Misturar mel e própolis ao caldo do cozimento da ameixa e tomar uma colher de sopa de hora em hora.
Constipação intestinal - Tomar a 'água de ameixas': deixar de molho, durante a noite, algumas ameixas e de manhã tomar água e comer as ameixas.
Resfriado - descaroçar algumas ameixas secas e assar no forno. Quando estiverem bem duras, moê-las finamente. Acrescer uma colher de sopa deste pó a uma xícara de água quente. Pingar algumas gotas de suco de limão e adoçar com um pouco de mel. Tomar quente.
Tosse - Tomar a mesma preparação indicada em resfriado, aos goles. 

Ver também: 
Como realizar o plantio da ameixa:

Fontes: http://globoruraltv.globo.com/GRural/0,27062,LTP0-4373,00.html , às 17:35 de 18 de abril de 2008.
Essencial - Um guia prático para cuidar da saúde, Editora Nova Cultural Ltda, São Paulo, 2001.
www.todafruta.com.br Data Edição: 07/07/04  
Curso Básico de Fruticultura - Engº. Agroº. Marco Moro - Escritório Regional da EMATER - Pelotas/RS -  2006.

Bibliografia: 
As Frutas na Medicina Natural
Alfons Balbach
Daniel S. F. Boarim
Edição Vida Plena
(XX11) 464-3888 - Itaquaquecetuba - SP.



Mande um e-mail: florestamudas@gmail.com
Fone: (014) 3441-3501 - (011) 3042-7491